segunda-feira, 28 de novembro de 2016

OS BENEFÍCIOS DO OVO

O ovo é um produto
De origem animal
Completo de nutrientes
E proteína essencial
Está contido na clara
Um valor fundamental

A gema é fornecedora
De fonte de vitamina
A,D e a AB12
Que fraqueza elimina
E a do complexo B
Conhecida por colina

Essa ajuda o cérebro
Funcionar plenamente
Deixa á memória ativa
De uma forma excelente
Dispensa o esquecimento
Tem lucidez permanente

Quem diz que gema é vilã
Nunca estudou pra saber
A riqueza no organismo
Que ela pode fazer
Quem duvidar faça teste
Cozinhe ovo pra comer

Dispense o ovo fritado
Prefira o ovo cozido
A gordura saturada
Muito já tem ofendido
Aumenta o LDL
E o organismo doído

O colesterol do ovo
É importante porque
Sintetiza bons hormônios
Que todos precisam ter
As células ficam saudáveis
Na proteção do viver

Portanto gente pratiquem
O ato de comer ovo
Preserve sua saúde
Com o organismo novo
As vantagens são demais
Vitaminas essenciais
Dá vivacidade ao povo

Escreveu HELENA BEZERRA..

domingo, 20 de novembro de 2016

SONEGAÇÃO DE DIREITOS

Quando a vida se alonga
Até a terceira idade
Perde de tudo a metade
Principalmente o sono
Tem muitos no abandono
Oh meu Deus como padece
A família lhe esquece
É triste a situação
De quem é abandonado
Pra valer só o cartão

Muitos filhos se reúnem
Pra decidir onde bota
Diz eles são idiota
Aqui não dar pra ficar
Vamos logo procurar
Lá manicômio vaga
Se faz um esforço paga
O valor da inscrição
O resto fica empenhado
Pelo valor do cartão

Será a maior limpeza
No dia que internar
Ninguém não vai visitar
Porque é melhor pra gente
Eles já estão demente
Nem sabe quem somos nós
Notícia se quer após
Da sua consumação
Porque tudo é contratado
Pelo valor do cartão

É de praxe acontecer
Na vida de cada idoso
Depois de ficar teimoso
Os parentes se afastando
A comida separando
Vive num quarto isolado
De tanto viver calado
Por ninguém dar atenção
Se torna encarcerado
Pelo o valor do cartão

Na família numerosa
Só fica um pra cuidar
Outros não vão ajudar
Porque não tem o cartão
Morrendo nem o caixão
Pega fazendo favor
O peito cheio de rancor
Queimando no coração
Porque não teve direito
De ficar com o cartão

A ambição é cruel
Causa dor e sofrimento
Veda o conhecimento
Do seu direito entender
Deixa de reconhecer
O que recebeu dos pais
Que não tão podendo mais
Fazer sua doação
Fica do mundo isolado
Valendo só o cartão.





terça-feira, 8 de novembro de 2016

CAMINHOS DE COMBATE A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO BRASIL



O nosso país precisa
Combater a intolerância
No âmbito religioso
Elevando a culminância
A humanidade geral
Sair da ignorância

Catequizar as crianças
É um caminho a seguir
Orientando pra vida
É meta pra abolir
Tudo que for preconceito
Amor substituir

A família estruturada
É a base principal
A escola complementa
O ensino essencial
Para instruir a vida
Isso é fundamental

Todas as crianças têm
Direito a educação
Realizar os seus sonhos
Sem cortar a vocação
Se caminhar neste rumo
Não há discriminação

Existem vários fatores
Que nos leva a refletir
Sobre a necessidade
Do poder contribuir
Na formação do sujeito
No viver e no agir

A escola é responsável
Pela aproximação
Da sua comunidade
Usando a educação
Priorizando as famílias
Uma boa relação

Neste caminho passeia
A tolerância o respeito
O perdão a paciência
O dever e o direito
Assim o amor penetra
Excluindo o preconceito

O nosso pai soberano
Aponta pra humanidade
Sua matemática soma
Os números da igualdade
Sem focar religião
Raça cor ou qualidade

É tanta intolerância
Que deve ser tolerada
Em todas as religiões
Dentro do país formada
Com os falsos julgamentos
Por língua infectada

Quando o povo se unir
Formando uma só corrente
E a palavra de Deus
Buscada diária mente
Aí o Brasil melhora
Intolerância cai fora
E a vida fica descente

Autora: HELENA BEZERRA..









segunda-feira, 24 de outubro de 2016

VIVENDO A CIDADANIA

Obedecer a Jesus
Em qualquer ocasião
É está em sintonia
Na hora da precisão
A partilha praticar
Se precisar perdoar
Assim é ser cidadão

Resgatar muitos valores
Que estão em extinção
No meio familiar
Tendo boa integração
Criar laços de amizade
Falando sempre a verdade
Assim é ser cidadão

Respeitar a natureza
Com a sua criação
Lutar pelos seus direitos
Sem provocar confusão
Cumprir com seus os deveres
Isso frui como prazeres
Na vida do cidadão

A família é a base
Que lhe dá sustentação
Sendo bem estruturada
Oferece educação
Mostra o caminho certo
Desviando do incerto
Construindo o cidadão

A escola contribui
Ajudando a formação
Ao longo da sua vida
Com boa orientação
Depois de ficar formado
Já se sente preparado
Para ser um cidadão

A comunidade ajuda
Fazendo boa ação
E atrapalha também
Se tudo faz confusão
Deixando o sujeito tonto
E as ideias a ponto
De nunca ser cidadão

 A sociedade influi
Predisposta na questão
De uma forma ou outra
Faz a colaboração
No sentido de ajudar
Ao caráter e bem estar
De qualquer um cidadão

A educação moral
Traz a fundamentação
Quem tem é bem sucedido
Em qualquer ocasião
Respeitar ser respeitado
É um quesito aprovado
Na vida do cidadão

Viver em sociedade
Requer a obrigação
De exercer cidadania
Com toda dedicação
Procurar ser informado
Nunca se deixar lesado
Assim é ser cidadão

Zelar o meio ambiente
É forma de prevenção
Orientar as pessoas
Evitar sujar o chão
Com o lixo reciclável
É uma ação louvável
Na vida do cidadão

Usar meios de transporte
Que não faz poluição
Sem mudar a cor do céu
Nem o verde do sertão
Sem devastar a floresta
A passarada faz festa
Dando viva ao cidadão

Criar projetos políticos
Para haver preservação
Nos mananciais de águas
Não ter contaminação
A maior fonte de vida
Nunca ficar impedida
De servir ao cidadão

Evitar de consumir
Produtos sem precisão
Nunca ser alienado
Por falsa informação
Apenas tome cuidado
Pra não ser um viciado
Meu amigo cidadão

Precisa todos lutarem
Em busca de solução
Fazer valer os direitos
Pra toda população
Cumprir normas respeitar
Isso vai colaborar
Na vida do cidadão

Ter direitos e deveres
E boa educação
Igualdade social
Saúde e habitação
Condição pra trabalhar
Isso não pode faltar
Na vida do cidadão

No Brasil o Nepotismo
Gera muita discussão
Mas continua agindo
Não há fiscalização
E o povo acomodado
Fica esperando calado
No agir do cidadão

Alguns lutam por direito
Esquecem a obrigação
De cumprir com os deveres
Nem se quer dá atenção
Agindo sempre incorreto
Nunca pode chegar perto
De ser um bom cidadão

Assegura se o direito
De uma livre expressão
Escolher seus candidatos
Votar sem ter opressão
Liberdade garantida
Isso faz parte da vida
De quem quer ser cidadão

Depois que a economia
Sofreu globalização
Houve perda de direitos
Saúde  educação
A moradia,o lazer
Tudo isso faz sofrer
Quem pensa ser cidadão

Ainda é utopia
Pensar que toda nação
Tem os direitos iguais
Este é o xis da questão
Alguns privilegiados
E outros discriminados
Onde mora o cidadã?

Tem muita gente na fila
Esperando a ocasião
Pra melhorar a saúde
O que recebe é  não
Morre sem ser atendido
Foi um direito perdido
Para esse cidadão

O índio luta constante
Enfrentando invasão
Que sofre nas suas terras
Nunca há moderação
O invasor sempre diz
De Norte ao Sul do país
Eu sou um bom cidadão

A carta da ONU diz
Em sua definição
Que os homens são iguais
Sem nenhuma distinção
A lei já foi aprovada
Falta ser executada
Na vida do cidadão

Procurar ser informado
É uma obrigação
De cada um ser humano
Dentro e fora da nação
Assim está preparado
Pra qualquer ato negado
Na vida do cidadão

Lutas intensas existem
Sem obter solução
Pra dar um ponto final
Na tal discriminação
Este é um mal resistente
Afeta constantemente
A vida do cidadão

Os direitos trabalhistas
Tem muita sonegação
Mesmo sendo garantido
Pela constituição
Quase não tem serventia
Na aposentadoria
Do pequeno cidadão

O pobre,negro e índio
Sofrem discriminação
O branco perseguidor
Munido de ambição
Neste mundo desumano
Agindo como um tirano
Tá longe de ser cidadão

Criança merece ter
Carinho e dedicação
E muitas são vitimadas
Jogadas em um lixão
Os culpados são os pais
Não pode entrar jamais
Na lista de cidadão

O sujeito seja visto
Em qualquer ocasião
Independente de raça
E também religião
Trocando o ter pelo ser
Aí se pode entender
O perfil do cidadão

O homem inteligente
Cria mecanização
Por sociedade justa
Sonho de todo cristão
Se chegar acontecer
Todo mundo vai querer
Viver como cidadão

A conquista de direitos
Deve ser a decisão
De grupos organizados
Lutando em prol da nação
Fiscalizando os errados
E expulsando  culpados
De fraudar o cidadão.

(HELENA BEZERRA)










domingo, 16 de outubro de 2016

Mote:PROFESSOR É A BASE QUE SUSTENTA OS PILHARES DA NOSSA EDUCAÇÃO.



Nossa vida precisa conhecer
A história o espaço e a ciência
O sabor do amor e a essência
Apurada nas páginas do saber
Professor representa o único ser
Que orienta uma boa formação
É fiel exercendo a profissão
Onde outro querendo não enfrenta
Professor é a base que sustenta
Os pilhares da nossa educação

Nunca pode parar de estudar
Para ser um leal mediador
Bom perfil de melhor Educador
Mediando a temática a ensinar
As ideias dos outros aceitar
Refletir  acatar opinião
Projetar o estudo em direção
As pesquisas que  plano representa
Professor é a base que sustenta
Os pilhares da nossa educação

Advogados,médicos e doutores
A nobreza de classe elitizada
Onde a base foi toda preparada
Pelas mãos dos exímios professores
Até servem de fios condutores
Preparando pra vida o cidadão
Orienta a buscar a profissão
Que dê certo com sua ferramenta
Professor é a base que sustenta
Os pilhares da nossa educação

Professor no Brasil perde valor
Vai a luta mas negam seu direito
Categoria que merece respeito
Ai de nossa nação sem professor
A comparar um rebanho sem pastor
Caminhando sem rumo e direção
Analfabetos de letras e instrução
Só a sua nação lhe aguenta
Professor é a base que sustenta
Os pilhares da nossa educação.

(HELENA BEZERRA)






segunda-feira, 10 de outubro de 2016

OBEDECENDO A MISSÃO

O tempo Deus  determina
E o homem não contraria
E a vida nos ensina
Fazer o que não queria
Despedir-se de Dian
Com este seu povo fan
De suas reflexões
E do seu comportamento
Todo seu ensinamento
Fica em nossos corações

Tempo tu fostes ingrato
Tomando das nossas mãos
Antecipou o contrato
Mexeu com estes cristãos
Dian um padre excelente
Orientou esta gente
O amor vivenciar
Ouvindo os dizeres seus
E da palavra de Deus
Poder se alimentar

No coração deste povo
Deixa saudade guardada
Mas vá em busca do novo
É longa sua jornada
Missionário é assim
A Deus dissestes o sim
Radiante como luz
Que não deixa no escuro
E o seu porto seguro
É a força de Jesus

O trabalho que foi feito
Devemos agradecer
O carisma o respeito
Faz tudo por merecer
Sentiremos sua falta
Recordando do Exalta
Sua marca registrada
O céu descia pra terra
No alto daquela serra
Dando sua coordenada

O nosso agradecimento
A nossa mãe padroeira
Por dar o merecimento
De se ter a vez primeira
Dian Carlos celebrando
Se despedindo e orando
Por todo povo presente
Que tanto bem te deseja
E o pensamento almeja
Tê-lo aqui futuramente

O diácono Edinaldo
O rebanho vai guiar
Fazendo soma do saldo
De tanto aqui ajudar
Aguardamos com carinho
Futuro padre Netinho
Continuar a missão
Desta paróquia potente
Orientando esta gente
A buscar a salvação

Adeus Dian Carlos Adeus!
Leve no seu coração
A recordação dos teus
Discípulos de devoção
Um acúmulo de saudade
Dividida na metade
Pra ti e pra teu irmãos
Para melhor aceitar
A Jesus vamos rezar
Erguendo as nossas mãos.

Escreveu HELENA BEZERRA. Em09/10/16.
Por ocasião do encerramento da festa da nossa padroeira Nossa S.P.Socorro.
No entanto houve a despedida do pe.Dian deixando nossa paróquia para ir assumir
a paróquia de Assu.




terça-feira, 27 de setembro de 2016

APOSTANDO NA MUDANÇA










Entre ideias e planos
Resolveram unificar
Passados anos e anos
Na disputa pra ganhar
O eleitor virou gente
Todos numa só corrente
Nem bacurau nem bicudo
Atrás dos outros correndo
Fiscalizando e vendendo
O veneno matou tudo

A força da união 
Brotou no meio do povo
Seguindo na direção
De um horizonte novo
Com proposta transparente
Ensinando muita gente
Dois de outubro votar
E aguardar resultado
Depois do cargo empossado
O lema é trabalhar

Pro povo ter confiança
Nos candidatos apostar
É só lhes fazer cobrança
Se nas propostas falhar
Tenham sempre pés no chão
Não subam de avião
Sem poder aterrissar
Pensem antes de fazer
Para se arrepender
E o povo não perdoar

Não prometam sem poder
Cumpri o que prometeu
Se a equipe fazer
Não use o pronome eu
Tratem bem o eleitor
Cultivem sempre o amor
Que é mola principal
É desta forma que ganha
E o pessoal acompanha
Na marcha municipal 
















domingo, 25 de setembro de 2016

ATITUDE CURIOSA


A seca afetou demais
O interior do estado
Matou plantas animais
Secou vale ensopado
Maria do livramento
 Frente a seu aposento
Duas plantas conservava
Muita sombra oferecia
E na casa de Maria
Clima quente não chegava

Quando tudo parecia
Que ia continuar
Sombra fresca água fria
A seca veio mudar
Aquele lugar de prosas
As duas árvores frondosas
Adoeceram e caíram
Marcas no lugar deixaram
Depois que as retiraram
Outras substituíram

Introduziu se cedinho
Outras plantas no lugar 
O pessoal de pertinho
Vieram observar
E dar as opiniões
Surgiram várias versões
Paravam pra perguntar
O que é isso moço?
Tá cavando um poço?
Haja pergunta no ar.

Isso é botija amigo?
Vai plantar o que?
É ninho ou é figo?
Isso é mussambê?
Outro é juazeiro?
Parece um pé pereiro
Melhor se fosse pinhão
Aroeira dona Maria
Muito ligeiro crescia
É a planta do sertão

As motos iam parando
Os motoqueiros Descendo
 Os carros iam encostando
O que está acontecendo?
Pedestres se acumulavam
Opiniões não faltavam
Sendo eu fazia assim
Maria bem chateada
Com a cara enfarruscada
Saiam de perto de mim.

Depois dessa ela avisa
A quem quiser consertar
Até mesmo uma camisa
Vá logo se preparar
Para as perguntas aceitar
Ingira cedo um purgante
A sua função garante
O estresse afugentar
Com muita calma dizer
Se  não souber responder
É muito melhor calar.

HELENA BEZERRA.























terça-feira, 20 de setembro de 2016

VOLTANDO DA FEIRA

Senti a necessidade
De viajar bem cedinho
O dinheiro bem curtinho
De trinta só a metade
Pra ir a outra cidade
Um negócio resolver
Então decidi descer
E esperar o caminhão
Que tinha obrigação
Levar feirista e trazer.

De outra cidade vinha
Este transporte esperado
Consegui uma vaguinha
Num grande amontoado
Saí com pé enganchado
Na trave do caminhão
Recebendo arranhão
Dum arame enferrujado
Balaio de ovos ao lado
Pra eu prestar atenção

Naquele percurso certo
Rezava-se oração
Estava ali por perto
São Cristovam Damião
Pra proteger na estrada
Quase toda parada
Entrava um passageiro
Aqui acolá um cheiro
Desagradável saia
E a lotação seguia
Pra completar o roteiro

No rosto dos passageiros
Um sorriso estampado
Era o carro parado
Em frente uma garapeira
Seguiam todos pra feira
Alguns produtos comprar
Alguns iam pechinchar
Fazendo economia
Era uma garantia
Pra noutra feira voltar

No pino do meio dia
Todos estavam no carro
Conduzindo o que podia
Fumando em um cigarro
Entrando no caminhão
Uns vinte e cinco no chão
Gritando deixe eu entrar
Para ir organizando
Muitos sacos colocando
Pro passageiro sentar

Compravam no atacado
Alimentos e animais
Era tudo misturado
Uns na frente outros atrás
Bode e ovelhas berrando
Galinha cacarejando
Os cachorros e os suínos
Madeira pra construção
Gaiolas potes e pilão
Adultos jovens e meninos

Mas esta farra acabou
Deixando recordação
A crise já descartou
Feiristas o caminhão
Que iam toda semana
Desapareceu a grana
Tudo por corrupção
Feita pelos marajás
O roubo da Petrobrás
Empobreceu a nação.

HELENA BEZERRA.











sexta-feira, 12 de agosto de 2016

SEU TRAJETO FOI ASSIM


Foi projetado por Deus
Planejado direitinho
Chegou no mundo chorando
De gente era um pinguinho
Mas cresceu acompanhando
As curvas do seu caminho

Refiro me a seu Fransquinho
Que nasceu pra ser feliz
O nome abençoado
De  Francisco de Assis
Da família nascimento
Que é a sua raiz

Tinha Jesus por juiz
Dos atos que praticava
Foi bom filho bom irmão
Toda a família ajudava
No ato da precisão
O seu serviço prestava

Muito novo só pensava
Numa família formar
E quando conheceu Neuza
Começou encasquetar
Só vou ficar sossegado
Quando com ela falar

Pediu para namorar
Neuza impôs condição
Só namoro pra casar
Essa é minha opinião
Ele disse é o meu plano
Vamos selar união

Diante a aceitação
Naquele lindo momento
Ele desprezou as outras
Que tinha no pensamento
Se preparou pra pedir
Ela para o casamento

Foi um bom entendimento
Com todos familiares
O casamento marcado
Para unir os pilhares
Alicerçando a família
Para edifica os lares

Noticia voou nos ares
Foi registrada a união
Foram três dias de festas
Com muita animação
Feita na casa da noiva
Reinando satisfação

Com muita dedicação
E responsabilidade
Pegaram o peso da cruz
E dividiram a metade
Jesus Cristo abençoou
E deu responsabilidade

Enfrentaram com vontade
E amor no coração
A vida cotidiana
Cumprindo a obrigação
E cada ano um menino
Com a maior perfeição

Sempre teve a intensão
De ser pai de muita gente
Sentado naquela mesa
Na hora do café quente
Dava conselhos apontando
Os erros severamente

Lia educadamente
O ABC da lição
Ai daquele que agisse
Contrário a opinião
Perdia todo cartaz
Sem ter recuperação

Ele era um cidadão
De um exemplo brilhante
O peso era de menino
Disposição de gigante
Econômico e pontual
De caráter transbordante

Foi muito perseverante
Honesto e trabalhador
Era agropecuarista
Pedreiro e vendedor
Até da nossa capela
Foi administrador

Dedicou se por amor
A devoção a Maria
Sempre louvou-a tocando
Em qualquer hora do dia
Como ele não cantava
Seu violão transmitia

O que ele mais queria
Era alguém interessar
Aprender a sua arte
Tinha gosto de ensinar
E doava o violão
Para servir neste altar

Pra ocupar seu lugar
Ninguém se habilitou
Mesmo doente ele vinha
Todo ritmo acompanhou
DO,RE,MI, FA, SÓ, LA,SI,
Todo tempo dominou

Depois que se afastou
Lutando com a doença
Ficou vindo assistir missas
Aumentando sua crença
Sempre que estava aqui
Marcava sua presença

A sua fé era imensa
Lhe ajudou no sofrimento
Teve uma vida longa
Saboreou cem por cento
Das coisas da natureza
Do trabalho ao alimento

Explorou conhecimento
Em tudo que procurou
Viveu oitenta e seis anos
Toda vida dedicou
Ao trabalho e a família
A igreja e ao Senhor

Muitas saudades deixou
Mas como estava faltando
Um tocador no coral
Um anjo ficou chamando
Venha pra tocar no céu
Envolveu ele num véu
E nós fiquemos chorando.
 
Autora; HELENA BEZERRA
FRUTUSO GOMES 12-08-2016





  




quarta-feira, 20 de julho de 2016

AMIGO É ASSIM




Não existe distância pra amigo
No momento difícil está presente
No estado sadio ou no doente
Se manifesta em qualquer situação
Pra problemas encontra solução
Uma ponte de amor edificando
Quem precisa passar vai ajudando
Dando espaço pra ir e pra voltar
Um amigo é farol iluminando
O caminho pro outro atravessar

sábado, 2 de julho de 2016

ACOLHAMOS COM ALEGRIA



Entre aplausos e vivas  
Ansiedade e desejo
Chega a imagem da santa
Num animado cortejo
Na nossa comunidade
Ao som de palma e festejo

Todos unidos cantando
Para receber Maria
Padroeira do Brasil
Que os seus filhos auxilia
Enchendo seus corações
Duma profunda alegria

Quem era que imaginava
De um dia acontecer
A imagem de Maria
Longa estrada percorrer
Até chegar esta serra
E sua bênçãos fornecer

É um grande privilegio
Para nossa comunidade
Entrar no Rota Trezentos
Sentir fé e humildade
Se envolvendo nas graças
Da mãe de humanidade

Unidos pedimos bênçãos
Para todos os presentes
Pedimos paz para outros
Que daqui estão ausentes
E a saúde completa
Para todos os doentes

Adeus Santa Aparecida
Siga a peregrinação
Continue abençoando
Região por região
Regressando ao seu lugar
Não deixe de abençoar
O povo deste sertão.


Escreveu: HELENA BEZERRA.


sexta-feira, 24 de junho de 2016

O QUE TEM NAS FESTAS JUNINAS






  
Tem homenagem aos santos
Antônio Pedro e João
Os nordestinos aproveitam
Pra fazer animação
Por isso o nordeste ganha
Em qualquer competição

Tem seca com seus problemas
Mas o nordestino é forte
Passa por cima de tudo
Na miséria dar um corte
E valoriza a cultura
Do Rio Grande do Norte

Tem bastante economia
Neste período junino
Muitos turistas visitam
O torrão potiguarino
O dinheiro entra e sai
No bolso do nordestino

Tem alegria sobrando
Nos corações desta gente
Quem alimenta a tristeza
Fica alegre e sorridente
Vendo os artistas cantando
Não tem quem fique doente

Tem comidas saborosas
Para todos degustar
Bolos doces e salgados
Fas dieta abandonar
O milho e seus derivados
Ficam em primeiro lugar

Tem fogueira esquentando
O centro das atrações
Quadrilha principal dança
Mantendo as tradições
O público julga na palma
As suas competições.
( HELENA BEZERRA)

sábado, 21 de maio de 2016

O FIM DA CORRUPÇÃO



O bota fora de Dilma
Foram anos trabalhados
Reuniões e ideias
Surgindo dos deputados
Foi muito sono perdido
Membro de cada partido
Dava sua opinião
Sem precisar testemunha
O líder Eduardo Cunha
Pois fim na corrupção

Agora o Brasil respira
Um ar sem poluição
Os ladrões do lava jato
Se encontram na prisão
O PT que atrapalhou
O seu rumo já tomou
É muito bom pra nação
Vê na globo apresentado
Um jornal noticiado
Sem haver corrupção

O que crescia a galope
Temer deu um paradeiro
Deu um freio na inflação
Valorizou o dinheiro
Quem roubou não rouba mais
Controlou a Petrobrás
Encontrou a solução
Cortando dez ministério
Fazendo um governo sério
Sem haver corrupção

Há tempo a nação pedia
Pra mudar este poder
Sentia necessidade
De ter o PMDB
Atuar na presidência
Um homem de competência
Caráter e educação
Tudo foi concretizado
E Michel Temer empossado
Sem haver corrupção

Nos programas sociais
Vai passar o pente fino
No Bolsa só fica a mãe
Que tiver mais dum menino
Minha casa minha vida
Vai ser sempre corrigida
Pra manter-se no padrão
ENEN PROUN E FIÉS
Com segurança e papéis
Pra não ter corrupção

Nossa nação brasileira
Já caminha aliviada
As verbas chegando ao ponto
Sem desvio na estrada
Dando lucro e crescimento
Vê-se o desenvolvimento
Saindo da contra mão
Temer só pensa no povo
E neste governo novo
Não se vê corrupção.

Autora; HELENA BEZERRA. 

domingo, 8 de maio de 2016

POR DESCUIDO ACONTECEU

Voltando do CPP
Um fato aconteceu
Um estouro muito forte
Chega o ouvido doeu
O motorista bem calmo
Disse estourou um pneu

Em baixa velocidade
O veiculo ainda corria
Por ele ser veterano
Muito controle fazia
Estacionou calmamente
O carro que conduzia

Era onze o total
De passageiros que vinha
No pino do meio dia
Nem se quer uma sombrinha
Pra abrigar este povo
Aquele lugar não tinha

O motorista matinha-se
Na calma  na paciência 
Nada se pode fazer
Faltei com a competência 
De colocar o macaco
Para esta emergência 

Se pedia pra parar 
Todo carro que passava
Precisamos dum macaco
Eles nem se quer olhava
Mais ninguém não desistia
A precisão obrigava

O primeiro que passou
Era muito conhecido
Formamos côro gritando 
Pare Damião querido
Por ir em velocidade
Passou por despercebido

Carros subiam, desciam
E nós na pista correndo 
Nós queremos um macaco
Não estavam entendendo
O motorista na mato
Pedra no ombro trazendo

Lutava sem desistir 
Ao longe apareceu
Um carro de cor vermelha
Nosso grito atendeu
Ajudou com o macaco
E com o esforço seu

Terminando o serviço
O motorista falou
Vamos vamos passageiros
O perigo já passou
Um ar de felicidade
Todo mundo transbordou

Quando todos se sentaram
O carro penso ficou
O pneu que foi trocado 
Tava furado  baixou
A murro a ponta pé
Três léguas meia andou

O carro quando parou 
Não deu pra acreditar
O pneu virou mulambo
Sumiu a câmara de ar
A lona enrolou no eixo
Faltou pouco pra virar

Agradecemos a Deus
Por ter dado proteção
De não sofrer acidentes
E nos dá disposição
De terminar a viagem
Esgotando a coragem
Calos nos pés e nas mãos

Autora: Helena Bezerra

sábado, 16 de abril de 2016

REALIZAÇÃO DE UM SONHO

Tive um sonho no passado
Me envolveu plenamente
Só em pensar eu sent
O meu coração contente
Ser mãe de uma menina
E a natureza divina
Me castigou um bocado
Eu não sabia entender
Melhor que sonhar é ver
Um sonho realizado

Muitas jovens se casaram
No tempo que me casei
Quando eu as vi com dois filhos
Até me emocionei
Sem revelar a ninguém
Querendo ser mãe também
Como tinha planejado
Demorou acontecer
Melhor que sonhar é ver
Seu sonho realizado

Quando Deus determinou
Ainda quis duvidar
Mas quando senti firmeza
Na fé pude mergulhar
Sentindo dois corações
Somando as pulsações
Um no outro conjugado
Nunca irei esquecer
Melhor que sonhar é ver
Seu sonho realizado

Nove meses de espera
Passei com satisfação
No santo mês esperado
Sentia tanta emoção
Cada dor que eu sentia
A criança se mexia
Em mim gerava cuidado
Será que já vai nascer?
Melhor que sonhar é ver
Seu sonho realizado

No dia do nascimento
Misturou-se as emoções
Pai e mãe descontrolados
Sentindo as pulsações
Dividindo as alegrias
Buscando as energias
Para o momento esperado
Do que ia acontecer
Melhor que  sonhar é ver
Seu sonho realizado

Deus marcou com tinta azul
Na página do seu diário
Dezessete de abril
É o seu aniversário
Parabéns filha querida
Tesouro da minha vida
Tenho no cofre guardado
O segredo é o prazer
Melhor que sonhar é ver
Seu sonho realizado

Cresceu recebeu virtudes
Faz questão de semear
A construção de amizades
Vive sempre a cultivar
Linda simpática e gentil
O teu semblante infantil
É muito bem conservado
Custará envelhecer
Melhor que sonhar é ver
Seu sonho realizado


PRESENTE DE SUA MÃE HELENA.




quinta-feira, 14 de abril de 2016

ATO DE SUPERAÇÃO




Fiquei grávida amamentando
No início não notei
Meu corpo foi se manchando
Uma rubéola curei
Sem ter noção do perigo
O que passou-se comigo
Não deu preocupação
E nem provocou estresse
Quando Deus quer acontece
Sem ter interrupção

Muito doente fiquei
Daquela infecção
Mesmo assim amamentei
Pois era alimentação
Que o meu bebê comia
O outro já se bulia
E na minha intuição
Com um verme isso parece
Quando Deus quer acontece
Sem ter interrupção

Desconfiei quando estava
Completando cinco meses
Pré-natal não procurava
Afirmo a todos vocês
Que só fui me consultar
Bem pertinho de ganhar
O médico chamou atenção
Seu filho um perigo cresce
Quando Deus quer acontece
Sem  ter interrupção.

Nasceu saudável e sadia
Uma elegante menina
Foi motivo de alegria
Desafiou a medicina
A Deus vivo agradecer
A graça de merecer
Esta filha de benção
Que a família merece
Quando Deus quer acontece
Sem uma interrupção

É mãe e vai repetir
Esta virtude outra vez
Hoje faz aniversário
Dia quatorze do mês
Mulher bem determinada
Parabéns filha estimada
Corda do meu coração
Que quando puxa ela cresce
Quando Deus quer acontece
Sem ter interrupção.





sexta-feira, 8 de abril de 2016

ACRÓSTICO NATALÍCIO



Valmir um nome potente
Antonio pai escolheu
Levou-o com gosto a pia
Meu tesouro e o seu
Irmão unido as irmãs
Rindo Deus nos concedeu
Bem vindo a nossa família
Este elegante menino
Zeloso em seu bem estar
Estuda forçando o tino
Respeita o próximo e a Deus
Resolve os problemas seus
Apostando no Divino
Do amor fez seu caminho
Em busca de renovar
A vida cheia de sonhos
Resta parabenizar
A data do nascimento
Único acontecimento
Jamais será esquecido
O viva filho querido.

AUTORA MÃE HELENA.

terça-feira, 5 de abril de 2016

A NOSSA CASA COMUM



O nosso planeta Terra
É muito desrespeitado
E os próprios habitantes
Muito tem colaborado
Pra ele sentir a dor
Dum câncer desenganado

Casa comum é a terra
Que merece ser cuidada
Por todos que nela habita
Mas está contaminada
De todos os poluentes
Que deixa ela estragada

De tanto receber danos
Ela está respondendo
Derrama água demais
Onde não está merecendo
Em outras partes a seca
Deixa os animais morrendo

O aquecimento global
É todo dia mais quente
As geleiras das reservas
Derretem constantemente
O mar aumenta de nível
Afogando muita gente

O lixo o maior vilão
Da Terra o destruidor
O povo deseducado
De tudo é o causador
Nosso planeta é a preza
E o homem o predador

A água bem precioso
Está fugindo da gente
Devido ser poluída
Em quase todo afluente
Esta é a maior crise
Que a humanidade sente

A luta veloz do homem
No setor da construção
Destruiu muitas florestas
Causou a devastação
No leito da água doce
Entrou a poluição

A concorrência a ganancia
A corrida atrás do ter
O lucro desenfreado
Atrapalha o bem viver
E a sociedade grita
A fim de se proteger.

Produção de HELENA BEZERRA.



quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

É REVOLTANTE ACEITAR



Um professor que trabalha
Cumprindo hora e mandado
No horário é pontual
Sem mandar um atestado
Trabalha até doente
Stress se faz presente
No seu corpo esmorecido
Mas cumprindo com o dever
É desgastante perder
Um direito adquirido
Enquanto os políticos usarem
Como arma educação,
Prometendo melhorar
Depois faz sonegação
Votam contra a professores
E todos educadores
Tem os ouvidos doído
De tanto ouvir prometer
É desgastante perder
Um direito adquirido
Com duas dúzias e um ano
Você consegue ganhar
Os vinte e cinco por cento
Mas se acaso inventar
Melhorar o conteúdo
Se promover no estudo
Este direito é traído
As letras não vão valer
É desgastante perder
Um direito adquirido
Mesmo sendo associado
Na ficha do sindicato
Pra conseguir um direito
Demora muito e é chato
Gasta toda paciência
Procura outra providência
Para não dar por perdido
A justiça vai recorrer
É desgastante perder
Um direito adquirido
Tirar de quem trabalhou
É assalto a mão armada
Infeliz da matemática
Que aprovou conta errada
Pra favorecer ladrão
Que tira da mesa o pão
Do menos favorecido
Massacrado por poder
É desgastante perder
Um direito adquirido