terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

CARNAVAL TRADIÇÃO POPULAR.

Carnaval é o entrudo
Que antes acontecia
De origem portuguesa
O povo se reunia
Jogando água e farinha
Até ovos de galinha
Se jogava na folia

O povo se libertava
Do trabalho pra brincar
Aproximado a quaresma
Botavam pra arregaçar
Depois da festa mundana
Era mais duma semana
Para ressaca curar

Foi no século dezessete
Que o Brasil recebeu
Entrudos carnavalescos
Criado por europeu
Trazidos por Português
Rio de Janeiro fez
Um berço e ofereceu

Entrudo era bonecos
De tamanho agigantado
Feito de pano e madeira
Pelo um grupo controlado
Pelas ruas desfilando
E muita gente animando
Música samba e rebolado

O carnaval foi crescendo
E se tornou tradição
A festa mais animada
Que tem pra população
Trabalham o ano inteiro
E gastam todo dinheiro
Lucrando satisfação

Hoje o melhor carnaval
É no Rio de Janeiro
A nível nacional
Ele é o pioneiro
Salvador tá na disputa
Faz muito tempo que luta
Pra ter o lugar primeiro

No tempo colonial
Entrudo era folia
No império foram blocos
Zé Pereira da Bahia
O carnaval hoje arrasa
O povo só vai pra casa
Quando seca a bateria




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

MOTE: O BARULHO DA CHUVA TONIFICA A ESPERANÇA DO POVO NORDESTINO

O nordeste fazia cinco anos
Que o elnino não deixava chover
O pacífico parou para obedecer
O poderoso que manda em oceanos
A quintura das águas causa danos
E do vento ele muda seu destino
As consequências causadas por elnino
A humanidade é quem se prejudica
O barulho da chuva tonifica
A esperança do povo nordestino

Ano em curso dois mil e dezessete
A população atrelada ao desespero
Era noite do dez de fevereiro
Manto escuro cobriu a amplidão
Com relâmpago seguido de trovão
E os anjos dos céus cantado hino
Arquitetados na arte do divino
A mão santa do céu ligou a bica
O barulho da chuva tonifica
A esperança do povo nordestino

A floresta trocou a cor da roupa
De cinzenta mudou para verde escuro
Sertanejo aposta no futuro
Semeando semente misturada
Atolado na terra bem molhada
Competindo espaço com menino
O cabelo de duro ficou fino
Dispensando a escova que estica
O barulho da chuva tonifica
A esperança do povo nordestino

As crianças corriam para saber
O que é que está acontecendo
Muita água do céu tá escorrendo
Se deitavam rolando pelo chão
Muito barro amassado com a mão
Muita gente louvava o som do hino
Carro pipa tomou outro destino
Temos água ecorrrendo numa bica
O barulho da chuva tonifica
 A esperança do povo nordestino

AUTORA: HELENA BEZERRA

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

REBELIÃO EM ALCAÇUZ



A paz foi embora lá de Alcaçuz
Os presos sentiram a sua saída
Fizeram protesto sem querer comida
Tremendo de fome gritavam Jesus
Ficou tudo escuro imploravam luz
Para o ambiente poder clarear
Em clima de guerra partiu pra brigar
Duas facções cruéis violentas
Lutando com armas do tipo sangrenta
E as vidas ceifadas jogadas no ar

Travou-se a luta com tiros e facadas
Pedaço de telha banda de janela
Bojo sanitário corrente de sela
Vidas destruídas cabeças cortadas
Corpos mutilados face descepadas
ITEP lutando para encontrar
O dono das partes para emendar
O grosso com grosso o fino com fino
Cabeça de homem corpo de menino
Muito complicado pra examinar

Arma improvisada na destruição
De vidas sofridas sem poupar ninguém
A queima de ônibus prejudica quem
Não tem nada haver com rebelião
Nem brigas travadas dentro de prisão
É cobrado caro sem nada comprar
Sem ter um transporte para viajar
Arriscando a vida perdendo o emprego
Ficando doente perdendo o sossego
Por causa de gente que vive a errar

Esfolaram corpos naquela chacina
Despencaram carne enterraram osso
Intestino fino também o grosso
Jogaram na fossa de areia fina
Mas nada empatou de ter fedentina
A carne em mantas postas para secar
Fizeram churrasco pra comemorar
Dizendo a imprensa é do PCC
E este pedaço é para você
Se tiver coragem de saborear

Saíram do piso subiram ao teto
Ergueram bandeiras feita de lençóis
Aqui no presidio quem domina é nós
Estamos dispostos a queimar projeto
Se vier de Temer nós vamos rasgar
Robinson De Farias vá se aquetar
O nosso comando não teme ninguém
Esbagaça tudo só fica o xerém
Pra jogar nas águas da beira do mar

ESCREVEU: HELENA BEZERRA.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

OS BENEFÍCIOS DO OVO

O ovo é um produto
De origem animal
Completo de nutrientes
E proteína essencial
Está contido na clara
Um valor fundamental

A gema é fornecedora
De fonte de vitamina
A,D e a AB12
Que fraqueza elimina
E a do complexo B
Conhecida por colina

Essa ajuda o cérebro
Funcionar plenamente
Deixa á memória ativa
De uma forma excelente
Dispensa o esquecimento
Tem lucidez permanente

Quem diz que gema é vilã
Nunca estudou pra saber
A riqueza no organismo
Que ela pode fazer
Quem duvidar faça teste
Cozinhe ovo pra comer

Dispense o ovo fritado
Prefira o ovo cozido
A gordura saturada
Muito já tem ofendido
Aumenta o LDL
E o organismo doído

O colesterol do ovo
É importante porque
Sintetiza bons hormônios
Que todos precisam ter
As células ficam saudáveis
Na proteção do viver

Portanto gente pratiquem
O ato de comer ovo
Preserve sua saúde
Com o organismo novo
As vantagens são demais
Vitaminas essenciais
Dá vivacidade ao povo

Escreveu HELENA BEZERRA..

domingo, 20 de novembro de 2016

SONEGAÇÃO DE DIREITOS

Quando a vida se alonga
Até a terceira idade
Perde de tudo a metade
Principalmente o sono
Tem muitos no abandono
Oh meu Deus como padece
A família lhe esquece
É triste a situação
De quem é abandonado
Pra valer só o cartão

Muitos filhos se reúnem
Pra decidir onde bota
Diz eles são idiota
Aqui não dar pra ficar
Vamos logo procurar
Lá manicômio vaga
Se faz um esforço paga
O valor da inscrição
O resto fica empenhado
Pelo valor do cartão

Será a maior limpeza
No dia que internar
Ninguém não vai visitar
Porque é melhor pra gente
Eles já estão demente
Nem sabe quem somos nós
Notícia se quer após
Da sua consumação
Porque tudo é contratado
Pelo valor do cartão

É de praxe acontecer
Na vida de cada idoso
Depois de ficar teimoso
Os parentes se afastando
A comida separando
Vive num quarto isolado
De tanto viver calado
Por ninguém dar atenção
Se torna encarcerado
Pelo o valor do cartão

Na família numerosa
Só fica um pra cuidar
Outros não vão ajudar
Porque não tem o cartão
Morrendo nem o caixão
Pega fazendo favor
O peito cheio de rancor
Queimando no coração
Porque não teve direito
De ficar com o cartão

A ambição é cruel
Causa dor e sofrimento
Veda o conhecimento
Do seu direito entender
Deixa de reconhecer
O que recebeu dos pais
Que não tão podendo mais
Fazer sua doação
Fica do mundo isolado
Valendo só o cartão.





terça-feira, 8 de novembro de 2016

CAMINHOS DE COMBATE A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO BRASIL



O nosso país precisa
Combater a intolerância
No âmbito religioso
Elevando a culminância
A humanidade geral
Sair da ignorância

Catequizar as crianças
É um caminho a seguir
Orientando pra vida
É meta pra abolir
Tudo que for preconceito
Amor substituir

A família estruturada
É a base principal
A escola complementa
O ensino essencial
Para instruir a vida
Isso é fundamental

Todas as crianças têm
Direito a educação
Realizar os seus sonhos
Sem cortar a vocação
Se caminhar neste rumo
Não há discriminação

Existem vários fatores
Que nos leva a refletir
Sobre a necessidade
Do poder contribuir
Na formação do sujeito
No viver e no agir

A escola é responsável
Pela aproximação
Da sua comunidade
Usando a educação
Priorizando as famílias
Uma boa relação

Neste caminho passeia
A tolerância o respeito
O perdão a paciência
O dever e o direito
Assim o amor penetra
Excluindo o preconceito

O nosso pai soberano
Aponta pra humanidade
Sua matemática soma
Os números da igualdade
Sem focar religião
Raça cor ou qualidade

É tanta intolerância
Que deve ser tolerada
Em todas as religiões
Dentro do país formada
Com os falsos julgamentos
Por língua infectada

Quando o povo se unir
Formando uma só corrente
E a palavra de Deus
Buscada diária mente
Aí o Brasil melhora
Intolerância cai fora
E a vida fica descente

Autora: HELENA BEZERRA..









segunda-feira, 24 de outubro de 2016

VIVENDO A CIDADANIA

Obedecer a Jesus
Em qualquer ocasião
É está em sintonia
Na hora da precisão
A partilha praticar
Se precisar perdoar
Assim é ser cidadão

Resgatar muitos valores
Que estão em extinção
No meio familiar
Tendo boa integração
Criar laços de amizade
Falando sempre a verdade
Assim é ser cidadão

Respeitar a natureza
Com a sua criação
Lutar pelos seus direitos
Sem provocar confusão
Cumprir com seus os deveres
Isso frui como prazeres
Na vida do cidadão

A família é a base
Que lhe dá sustentação
Sendo bem estruturada
Oferece educação
Mostra o caminho certo
Desviando do incerto
Construindo o cidadão

A escola contribui
Ajudando a formação
Ao longo da sua vida
Com boa orientação
Depois de ficar formado
Já se sente preparado
Para ser um cidadão

A comunidade ajuda
Fazendo boa ação
E atrapalha também
Se tudo faz confusão
Deixando o sujeito tonto
E as ideias a ponto
De nunca ser cidadão

 A sociedade influi
Predisposta na questão
De uma forma ou outra
Faz a colaboração
No sentido de ajudar
Ao caráter e bem estar
De qualquer um cidadão

A educação moral
Traz a fundamentação
Quem tem é bem sucedido
Em qualquer ocasião
Respeitar ser respeitado
É um quesito aprovado
Na vida do cidadão

Viver em sociedade
Requer a obrigação
De exercer cidadania
Com toda dedicação
Procurar ser informado
Nunca se deixar lesado
Assim é ser cidadão

Zelar o meio ambiente
É forma de prevenção
Orientar as pessoas
Evitar sujar o chão
Com o lixo reciclável
É uma ação louvável
Na vida do cidadão

Usar meios de transporte
Que não faz poluição
Sem mudar a cor do céu
Nem o verde do sertão
Sem devastar a floresta
A passarada faz festa
Dando viva ao cidadão

Criar projetos políticos
Para haver preservação
Nos mananciais de águas
Não ter contaminação
A maior fonte de vida
Nunca ficar impedida
De servir ao cidadão

Evitar de consumir
Produtos sem precisão
Nunca ser alienado
Por falsa informação
Apenas tome cuidado
Pra não ser um viciado
Meu amigo cidadão

Precisa todos lutarem
Em busca de solução
Fazer valer os direitos
Pra toda população
Cumprir normas respeitar
Isso vai colaborar
Na vida do cidadão

Ter direitos e deveres
E boa educação
Igualdade social
Saúde e habitação
Condição pra trabalhar
Isso não pode faltar
Na vida do cidadão

No Brasil o Nepotismo
Gera muita discussão
Mas continua agindo
Não há fiscalização
E o povo acomodado
Fica esperando calado
No agir do cidadão

Alguns lutam por direito
Esquecem a obrigação
De cumprir com os deveres
Nem se quer dá atenção
Agindo sempre incorreto
Nunca pode chegar perto
De ser um bom cidadão

Assegura se o direito
De uma livre expressão
Escolher seus candidatos
Votar sem ter opressão
Liberdade garantida
Isso faz parte da vida
De quem quer ser cidadão

Depois que a economia
Sofreu globalização
Houve perda de direitos
Saúde  educação
A moradia,o lazer
Tudo isso faz sofrer
Quem pensa ser cidadão

Ainda é utopia
Pensar que toda nação
Tem os direitos iguais
Este é o xis da questão
Alguns privilegiados
E outros discriminados
Onde mora o cidadã?

Tem muita gente na fila
Esperando a ocasião
Pra melhorar a saúde
O que recebe é  não
Morre sem ser atendido
Foi um direito perdido
Para esse cidadão

O índio luta constante
Enfrentando invasão
Que sofre nas suas terras
Nunca há moderação
O invasor sempre diz
De Norte ao Sul do país
Eu sou um bom cidadão

A carta da ONU diz
Em sua definição
Que os homens são iguais
Sem nenhuma distinção
A lei já foi aprovada
Falta ser executada
Na vida do cidadão

Procurar ser informado
É uma obrigação
De cada um ser humano
Dentro e fora da nação
Assim está preparado
Pra qualquer ato negado
Na vida do cidadão

Lutas intensas existem
Sem obter solução
Pra dar um ponto final
Na tal discriminação
Este é um mal resistente
Afeta constantemente
A vida do cidadão

Os direitos trabalhistas
Tem muita sonegação
Mesmo sendo garantido
Pela constituição
Quase não tem serventia
Na aposentadoria
Do pequeno cidadão

O pobre,negro e índio
Sofrem discriminação
O branco perseguidor
Munido de ambição
Neste mundo desumano
Agindo como um tirano
Tá longe de ser cidadão

Criança merece ter
Carinho e dedicação
E muitas são vitimadas
Jogadas em um lixão
Os culpados são os pais
Não pode entrar jamais
Na lista de cidadão

O sujeito seja visto
Em qualquer ocasião
Independente de raça
E também religião
Trocando o ter pelo ser
Aí se pode entender
O perfil do cidadão

O homem inteligente
Cria mecanização
Por sociedade justa
Sonho de todo cristão
Se chegar acontecer
Todo mundo vai querer
Viver como cidadão

A conquista de direitos
Deve ser a decisão
De grupos organizados
Lutando em prol da nação
Fiscalizando os errados
E expulsando  culpados
De fraudar o cidadão.

(HELENA BEZERRA)