sábado, 21 de maio de 2016

O FIM DA CORRUPÇÃO



O bota fora de Dilma
Foram anos trabalhados
Reuniões e ideias
Surgindo dos deputados
Foi muito sono perdido
Membro de cada partido
Dava sua opinião
Sem precisar testemunha
O líder Eduardo Cunha
Pois fim na corrupção

Agora o Brasil respira
Um ar sem poluição
Os ladrões do lava jato
Se encontram na prisão
O PT que atrapalhou
O seu rumo já tomou
É muito bom pra nação
Vê na globo apresentado
Um jornal noticiado
Sem haver corrupção

O que crescia a galope
Temer deu um paradeiro
Deu um freio na inflação
Valorizou o dinheiro
Quem roubou não rouba mais
Controlou a Petrobrás
Encontrou a solução
Cortando dez ministério
Fazendo um governo sério
Sem haver corrupção

Há tempo a nação pedia
Pra mudar este poder
Sentia necessidade
De ter o PMDB
Atuar na presidência
Um homem de competência
Caráter e educação
Tudo foi concretizado
E Michel Temer empossado
Sem haver corrupção

Nos programas sociais
Vai passar o pente fino
No Bolsa só fica a mãe
Que tiver mais dum menino
Minha casa minha vida
Vai ser sempre corrigida
Pra manter-se no padrão
ENEN PROUN E FIÉS
Com segurança e papéis
Pra não ter corrupção

Nossa nação brasileira
Já caminha aliviada
As verbas chegando ao ponto
Sem desvio na estrada
Dando lucro e crescimento
Vê-se o desenvolvimento
Saindo da contra mão
Temer só pensa no povo
E neste governo novo
Não se vê corrupção.

Autora; HELENA BEZERRA. 

domingo, 8 de maio de 2016

POR DESCUIDO ACONTECEU

Voltando do CPP
Um fato aconteceu
Um estouro muito forte
Chega o ouvido doeu
O motorista bem calmo
Disse estourou um pneu

Em baixa velocidade
O veiculo ainda corria
Por ele ser veterano
Muito controle fazia
Estacionou calmamente
O carro que conduzia

Era onze o total
De passageiros que vinha
No pino do meio dia
Nem se quer uma sombrinha
Pra abrigar este povo
Aquele lugar não tinha

O motorista matinha-se
Na calma  na paciência 
Nada se pode fazer
Faltei com a competência 
De colocar o macaco
Para esta emergência 

Se pedia pra parar 
Todo carro que passava
Precisamos dum macaco
Eles nem se quer olhava
Mais ninguém não desistia
A precisão obrigava

O primeiro que passou
Era muito conhecido
Formamos côro gritando 
Pare Damião querido
Por ir em velocidade
Passou por despercebido

Carros subiam, desciam
E nós na pista correndo 
Nós queremos um macaco
Não estavam entendendo
O motorista na mato
Pedra no ombro trazendo

Lutava sem desistir 
Ao longe apareceu
Um carro de cor vermelha
Nosso grito atendeu
Ajudou com o macaco
E com o esforço seu

Terminando o serviço
O motorista falou
Vamos vamos passageiros
O perigo já passou
Um ar de felicidade
Todo mundo transbordou

Quando todos se sentaram
O carro penso ficou
O pneu que foi trocado 
Tava furado  baixou
A murro a ponta pé
Três léguas meia andou

O carro quando parou 
Não deu pra acreditar
O pneu virou mulambo
Sumiu a câmara de ar
A lona enrolou no eixo
Faltou pouco pra virar

Agradecemos a Deus
Por ter dado proteção
De não sofrer acidentes
E nos dá disposição
De terminar a viagem
Esgotando a coragem
Calos nos pés e nas mãos

Autora: Helena Bezerra